05 jun 2020

Dia do Meio Ambiente – 5 de Junho

Hoje, dia 5 de Junho de 2020 é o Dia Mundial do Meio Ambiente. Todo ano é definido um tema central deste evento, no intuito da sociedade e governos se atentarem de forma mais específica e cautelosa com um foco principal.

Neste ano o tema é “Celebrar a Biodiversidade”.

Infelizmente todos sabemos que os motivos para celebrar quando o tema é meio ambiente, no Brasil e no mundo, não são muito vastos. Muito pelo contrário, temos números e notícias que são bastante alarmantes. Mas também nem tudo é tragédia. Existe sim alguns motivos para nos dar um pouco de otimismo e esperança.

O Brasil possui papel de grande destaque no cenário ambiental mundial e nossa biodiversidade é mais vasta e notável do que se imaginava. Na última década estudos foram conduzidos e concluiu-se que em torno de 20% da biodiversidade mundial tem sua morada aqui. Segundo dados da ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) e SiBBr (Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira), estima-se que temos mais de 140 mil espécies na flora e fauna brasileira.

Porém, também segundo a ICMbio, temos hoje no Brasil 3.286 espécies em extinção e ainda um número maior de espécies com algum tipo de ameaça.

Abaixo é possível analisar em um gráfico publicado em relatório sobre o Panorama da Biodiversidade Global realizado em parceria com a ONU que apenas 40% das espécies catalogadas não apresentam nenhum tipo de risco. O restante está de alguma forma ameaçada ou com carência de dados.

Entre as várias causas supressoras da biodiversidade no mundo damos enfoque para a poluição ambiental por atividades industriais, agrícolas e urbanas.

Em trecho retirado do relatório sobre o Panorama da Biodiversidade Global, é dito: “A poluição por nutrientes (nitrogênio e fósforo) e por outras fontes é uma contínua e crescente ameaça para a biodiversidade em ecossistemas terrestres, de águas interiores e costeiros. Os processos industriais modernos, tais como a queima de combustíveis fósseis e as práticas agrícolas, em especial o uso de fertilizantes, mais do que duplicaram a quantidade de nitrogênio reativo no meio ambiente em comparação com o período pré-industrial. Colocando de outra forma, os seres humanos agora adicionam mais nitrogênio reativo ao meio ambiente do que todos os processos naturais, tais como plantas fixadoras de nitrogênio, fogos e descargas de relâmpagos. ”

 A deposição de nitrogênio e matéria orgânica já é considerada como o grande condutor do impacto nas espécies em uma série de ecossistemas.

Mudando o enfoque um pouco mais para saúde pública, também não podemos ignorar as substâncias micropoluentes, que são compostos tóxicos biocumulativos resultantes de produtos fármacos, cosméticos, agrotóxicos, entre outros, presentes nos efluentes e consequentemente nos rios de onde capta-se água para consumo.

Como dito no início deste artigo, nem tudo é tragédia! Existem sim estudos e relatos que indicam alguns suspiros e reação de espécies animais e vegetais neste tempo de pandemia do COVID-19, onde muitos centros urbanos encontram-se em estado de lockdown e isolamento social.  Com a redução na circulação de pessoas e queda no uso de transporte por carros, aviões e outros meios, nota-se grandes reduções (nunca antes registradas) de emissão de CO2 e NO2 na atmosfera, melhorando de forma significativa a qualidade do ar. Com a baixa nas produções industriais em muitos países, também houve redução nas contaminações de corpos hídricos e redução da emissão de gases. Algumas espécies de animais que não eram mais vistas também “mostraram as caras” com o menor fluxo de pessoas e atividades urbanas.

A mensagem geral deste artigo é clara. O ser humano é parte integrante do ecossistema e não consegue sobreviver de forma isolada. Para que a vida possa existir a biodiversidade é peça chave na sobrevivência de todas as espécies do planeta, seja ela grande ou pequena, terrestre ou aquática. É necessário que se entenda que enquanto existir uma cadeia alimentar, todos os seres vivos são conectados uns aos outros formando a grande rede de diversas formas de vida que habitam o planeta. 

O Grupo EP tem em seu DNA a paixão por estudar e implementar, em parceria com seus clientes e universidades, soluções tanto no monitoramento de poluentes ambientais através de nosso laboratório altamente estruturado (EP Analítica), quanto na mitigação de seus impactos através de sistemas de tratamento e reuso de água e efluentes.

Somos entusiastas e especialistas na aplicação de tecnologias, processos e serviços que no final do dia, garantam integralmente o atendimento às legislações ambientais e além disso contribuam com a conservação de nossos recursos naturais evitando, dessa forma, os impactos sobre a biodiversidade.

Fontes:

https://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-global/impactos.html

www.sibbr.gov.br

www.portalbiodiversidade.icmbio.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site seguro
×

Olá!

Clique para falar com um de nossos representantes via Whatsapp ( Clique Aqui ) ou se preferir solicite um Orçamento Online (Clicando Aqui)

× Como posso te ajudar?